UMA DESCOBERTA IMPRESSIONANTE

UMA DESCOBERTA IMPRESSIONANTE
Filigrana em um NUMERAL DO IMPÉRIO


Descobrimos há pouco tempo uma filigrana em um selo do Brasil Império e que não é de sutura. Uma descoberta impressionante e que nos deixou curiosos para ver se você encontra outras novidades. Do nosso ponto de vista é muito importante divulgar este tipo de descoberta que instiga a caça de novas variedades.

Considerações Iniciais

AS FILIGRANAS OU MARCAS D’ÁGUA

Para quem não sabe a filigrana (não FILIGRAMA) ou marca d’água no papel é muito antiga. Papéis e documentos do século XVII e XVIII já apresentam filigranas muito sofisticadas.
A seguir temos um Ofício de 9 de abril de 1753 a respeito da BULA DA CRUZADA escrita sobre papel de trapo de tecido muito bem conservado e que apresenta uma filigrana em cada página.

BULA DA CRUZADA http://pt.wikipedia.org/wiki/Bula_da_Cruzada



Uma das dificuldades que temos é a de mostrar a imagem da filigrana. Normalmente empregamos benzina para poder vê-la.
Logo a seguir apresentamos a imagem do documento de 1753 e em seguida um detalhe que foi digitalizado com benzina. Podem-se ver vestígios da bela filigrana deste antigo documento com 260 anos de idade.



Esta filigrana é a que chamamos que filigrana de marca do fabricante do papel.
Nos selos este tipo de filigrana pode acontecer de forma ACIDENTAL.

CLASSIFICAÇÃO DAS FILIGRANAS EM SELOS POSTAIS
De uma forma geral podemos dizer nos selos postais brasileiros existem dois tipos de filigranas, a saber:
1-AS ACIDENTAIS
2-AS DE SEGURANÇA

AS ACIDENTAIS
As acidentais podem ser de “SUTURA” ou do “FABRICANTE DO PAPEL”.

SUTURA



A filigrana de sutura nasce na fabricação do papel e de forma acidental. A massa de papel é comprimida contra um tecido e eventualmente existe uma costura (sutura) de emenda. Caso esta emenda do tecido visível no papel venha a aparecer no selo temos uma peça com a chamada “FILIGRANA DE SUTURA”. Por um logo período de tempo estas ocorrências não eram catalogadas. Havia uma razão muito importante. Não se conhecia e ainda não se conhece a quantidade de selos de cada tipo com as filigranas de suturas. Algumas começaram a aparecer até nos Inteiros Postais. Aos poucos o Catálogo de Selos do Brasil acabou registrando as filigranas de sutura nos Olhos de Boi, Inclinados e quem sabe num futuro poderemos ter estes estudos mais completos de forma a possibilitar uma classificação mais segura.

FABRICANTE DO PAPEL
Da mesma forma que no documento de 1753, a filigrana com a marca do fabricante do papel pode ser achada nos selos postais. Isso, naturalmente, é mais frequente nos selos impressos FORA DA CASA DA MOEDA.

Neste setor da filatelia podemos destacar os selos Telégrafos de 1869 com a filigrana “LACROIX FRÈRES    “ (Catálogo de Selos do Brasil 58ª Edição) números T-8 A até T-11 A. A filigrana “LACROIX FRÈRES”, descoberta de Rolf H. Meyer, representa a marca do fabricante do papel que na hora da impressão ficou na parte do selo postal. Não é preciso dizer que estes selos são extremamente raros com cotações entre R$ 11.500 e R$ 37.000 (correspondente a US$ 5.750 até US$ 18.500). Raramente vemos uma coleção com estas quatro peças (em qualquer estado). O T-9 A em particular é incrivelmente raro.



O RARO T-9 A com LACROIX FRÈRES

Em 1985 na Brapex VI em Belo Horizonte eu realizei uma troca (eu era um neófito na filatelia) de um T-9 A carimbado por um 180 réis Inclinado com margem inferior de folha com carimbo NICTHEROY. Achei que havia feito uma grande troca e quando cheguei a São Paulo levei uma bronca terrível. Ouvi cada coisa que nem posso repetir e nunca esqueci a lição. Na época o valor de catálogo era muito semelhante e eu acreditava que era mais fácil comercializar um Inclinado. Pura bobagem.

Agora em 2014 encontrei algo nunca visto antes.
Trata-se de um par 10 réis azul, novo COM FILIGRANA de um fabricante de papel que ainda eu não descobri a origem nem o nome. De qualquer forma esta peça é inédita, pois nenhum numeral do Brasil Império (exceto provas) é conhecido com uma filigrana deste gênero.
Ela estará na próxima edição do Catálogo de Selos do Brasil com o número 19 L.



AS DE SEGURANÇA
Com o aumento do número de falsificações as autoridades decidiram sofisticar na confecção dos selos e inteiros postais. Introduziram as filigranas de segurança que até os dias de hoje você encontra nas cédulas e nos passaportes.
A primeira filigrana encontrada em nossa filatelia está em um Inteiro Postal. São os envelopes de 3 de julho de 1867, Catálogo EN-1 até EN-5 com a imagem de Dom Pedro II de perfil. Curiosamente a filigrana é “Correio Brasileiro” grafado com a letra “S”. Na época a palavra era escrita com a letra “Z”.
Nos selos postais a filigrana de segurança só surgiu em 1905/1906 na série Madrugada (Catálogo nº 107 até 113).

FILIGRANA CORREIO FEDERAL


FILIGRANA IMPOSTO DE CONSUMO

O fato curioso desta emissão é que houve troca de papel e temos dois tipos de marca d’água. Uma com o termo “CORREIO FEDERAL” produzido para selos postais e outro “IMPOSTO DE CONSUMO”, papel este destinado aos selos fiscais.
Cumpre salientar que o número de falsificações era bem maior nos selos fiscais e por essa razão estes apareceram com filigrana antes dos selos postais. A outra razão é que os selos postais do Império iam até 1.000 réis, enquanto nos selos fiscais existiam selos de 50.000 réis. Pagar impostos nunca foi algo gostoso e por isso o papel filigranado de segurança garantiu a sua existência. Nos selos postais até 1972 e acredito que eles deveriam continuar a fazer desta forma. Evitariam muitas falsificações que vemos até os dias de hoje.