OLHOS DE BOI-DO PRIMEIRO AO UM DOS ÚLTIMOS DIAS

OLHOS DE BOI-DO PRIMEIRO AO UM DOS ÚLTIMOS DIAS

No dia 1 de agosto de 1843 o Brasil mudou a forma de pagamento da correpondência. Ela deveria ser paga antecipadamente na forma de um pequeno pedaço de papel com goma.
Antes o pagamento era realizado no destino e de acordo com a distância e o meio empregado no transporte. Com esta gigantesca reforma postal nasciam os famosos Olhos de Boi. Começaram a circular no Rio de Janeiro (Corte) no dia 1 de agosto de 1843.
Na época a comunicação era precária. Os moradores distantes da Corte estavam acostumados a pagar pelas cartas recebidas ao carteiro e como não havia televisão, telefone, etc. alguns carteiros passaram a retirar os selos afixados no Rio de Janeiro e recebiam dos destinatários acostumados a pagar. Na volta ele revendia os selos retirados e assim por diante fazia uma receita extra.
Como ele recebia cerca de 200 réis por dia esta receita adicional passou a ser importante para o condutor das missivas.
Uma vez descoberto isso foram impressos os selos com um tamanho menor.
Os Inclinados. Enquanto o papel fino proveniente da Grã-Bretanha não vinha a nova emissão foi impressa no papel remanescente dos Olhos de Boi.
Os Olhos de Boi deixaram de ser empregados no Rio de Janeiro em 1845. Em outras localidades, entretanto, existiam ainda exemplares dos Olhos de Boi. Um destes lugares de acesso difícil era o Mato Grosso. É por essa razão que um dos ÚLTIMOS OLHOS DE BOI utilizados sobre uma mensagem é justamente de 1854 com o carimbo de CUIABÁ.
A seguir mostramos duas peças que podemos considerar as de maior significância na filatelia brasileira. O primeiro e um dos últimos Olhos de Boi utilizados no Brasil.



60 RÉIS OLHO DE BOI COM CARIMBO 1 DE AGOSTO DE 1843



60 RÉIS OLHO DE BOI CARTA DE 13 DE MARÇO DE 1854 DE CUIABÁ PARA O RIO DE JANEIRO.